Biênio 2016 - 2017

Biênio 2016 - 2017

Pesquisar

Acesso Rápido ao Blog

Arquivo do Blog


“Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério”
(I Timóteo 1.1)
A vida do apóstolo Paulo foi caracterizada pela fidelidade. Quando teve aquele encontro com Jesus na estrada de Damasco, Paulo começou uma nova vida de total fidelidade ao Senhor e ao ministério que havia recebido.


Isso é o que Deus espera de cada um/a de nós também: Fidelidade! Mas fidelidade no ministério não significa que todos faremos exatamente as mesmas coisas ou agiremos da mesma forma.



Uma perspectiva interessante fidelidade é narrada em I Samuel 30.

O rei Davi e seus homens saíram para batalhar. Enquanto estavam fora, os amalequitas vieram e queimaram a cidade de  Ziclague, levando cativas as mulheres e crianças.

Quando Davi e seus homens chegaram, viram e situação e choraram “até não terem mais forças para chorar” (v.4). Os homens acusaram Davi e queriam apedrejá-lo. Mas o texto diz que “Davi se reanimou no Senhor, seu Deus” (v.6).

Tendo pedido orientação a Deus, Davi selecionou 600 homens para resgatarem as mulheres e crianças. Mas quando chegaram ao ribeiro de Basor, 200 homens estavam tão exaustos que não conseguiram atravessar o ribeiro e ficaram para trás com os suprimentos e as bagagens. Os outros 400 seguiram, lutaram e conseguiram resgatar as mulheres e crianças e retornaram com os despojos.

Quando voltaram ao ribeiro de Bazor, aconteceu um protesto por parte de alguns dos 400 homens que haviam lutado. Eles não queriam compartilhar os despojos com os 200 que haviam ficado no ribeiro.

Então Davi fez uma grande declaração sobre fidelidade: “Porque qual é a parte dos que desceram à peleja, tal será a parte dos que ficaram com a bagagem; receberão partes iguais (I Samuel 30 24). De fato essa afirmação de Davi tornou-se estatuto e ordenança para Israel daquele dia em diante.

O que Davi disse essencialmente é que “Nem todos são igualmente fortes ou têm as mesmas habilidade, mas todos podem igualmente ser fieis naquilo que a eles foi confiado”.

Os 200 homens haviam feito o seu melhor e eram tão dignos de receber a recompensa quanto os outros que tinham mais força ou mais habilidade.
Sejamos fieis e façamos o melhor com os dons e ministérios que Deus os concedeu, por que Ele é fiel!

No amor de Jesus,

Bispo João Carlos 

No Cenáculo

Revista Escola Dominical