Biênio 2016 - 2017

Biênio 2016 - 2017

Pesquisar

Acesso Rápido ao Blog

Arquivo do Blog


“Como o ferro com ferro se afia, assim o homem afia o 
rosto do seu amigo”  (Pv 27.17).

Todos nós temos um amigo, um parente ou mesmo um membro da igreja que testa a nossa paciência, que nos desafia e que até nos incomoda. Geralmente não gostamos e preferimos ficar longe desse tipo de situação. Mas o texto de provérbios 27.17, nos apresenta uma perspectiva positiva dessa realidade.


Como é o caso da maioria dos provérbios, não há nada no contexto imediato desse texto que possa esclarecer a intenção do autor. Mas aparentemente o autor quer afirmar que “é no atrito que se arredonda as arestas”.

O texto de Hebreus 10.24 expressa um conceito parecido: “E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras”. A palavra “estimular” é a tradução de um termo grego encontrado apenas mais uma vez no Novo Testamento “paroxusmos”.  Em Atos 15.39 esse termo é usado para descrever a contenda entre Paulo e Barnabé com relação a João Marcos.

Se formos à raiz desse termo vamos ver que ele vem de duas palavras que têm o sentido de “se posicionar ao lado para afiar”. O autor de Hebreus usa esse termo no sentido positivo para descrever nossa responsabilidade cristã de nos posicionarmos ao lado uns dos outros para nos mantermos afiados.  Apesar das versões portuguesas traduzirem o termo como “incentivar” ou “encorajar”, uma tradução mais literal seria “provocar” usada na versão do King James.

Assim, voltando ao texto de Provérbios 27.17, Deus permite que nos relacionemos com pessoas que, mesmo sendo cristãs, são muito diferentes de nós e até nos incomodam e provocam. Mas esses relacionamentos, esses incômodos, essas provocações devem nos fazer crescer; devem nos fazer mais maduros; mais santos; mais “afiados”.

Infelizmente nossa tendência é negligenciarmos esse aspecto da vida cristã e preferimos evitar esse tipo de relacionamento. Não gostamos de afiar e nem de sermos afiados.

De qualquer forma, da próxima vez que enfrentarmos uma situação como essa, lembremo-nos: A maneira como reagimos é um verdadeiro teste do nosso caráter já que Deus usa outras pessoas para desenvolver o fruto do Espírito em nossas vidas tão bem como as características do caráter dele em nos.
Muitas bênçãos sobre sua vida,

Bispo João Carlos

No Cenáculo

Revista Escola Dominical