Biênio 2016 - 2017

Biênio 2016 - 2017

Pesquisar

Acesso Rápido ao Blog

Arquivo do Blog

“E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria. De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos, e todos os dias na praça com os que se apresentavam” (Atos 17.16-17).

Pela providencia de Deus, Paulo foi parar em Atenas – o centro intelectual e cultural do mundo antigo. Enquanto esperava por Silas e Timóteo, ele aproveitou para ministrar ao povo daquela cidade.

O texto diz que o espírito do apóstolo “se comovia em si mesmo” ao ver a cidade tão entregue à idolatria (Atos 17.16).

O verso seguinte (17.17) revela que essa comoção não levou Paulo ao desespero ou ao desânimo. Pelo contrário, levou-o a uma proclamação corajosa da verdade.

Aqueles ídolos eram atrações turísticas de Atenas. Mas Paulo  via a cidade com olhos espirituais. Para ele aqueles ídolos eram apenas uma prova da ignorância daquele povo e da sua desobediência a Deus. Então, ao invés de ficar impressionado, Paulo ficou comovido!

Esse sentimento não o manteve em silencio ou timidez, pelo contrário. A tradução portuguesa diz que Paulo “disputava na sinagoga...”. A palavra original traduzida como “disputava” é “dialegomai”, de onde vem o verbo “dialogar”. Então, na verdade o apóstolo começou a dialogar com as pessoas. Primeiro ele iniciou o diálogo com os judeus e religiosos, dentro da sinagoga, mas em seguida foi para as praças e dialogava com aqueles que por ali apareciam.

Nesse tempo em que temos discernido mais e melhor nossa missão de fazer discípulos e discípulas de Jesus, precisamos entender que Deus, pela sua providencia, tem colocado cada um/a de nós no lugar onde estamos. E o desejo dele é que ao olhar as pessoas que nos rodeiam sejamos “comovidos” a compartilhar nosso testemunho de quem ele é em nossas vidas.

É desejo de Deus que sejamos “comovidos em nosso espírito” pelas trevas que nos rodeiam. Somos desafiados a buscar corajosamente oportunidades para expressar nossa fé. Muitos irão ignorar e zombar de nós. Outros dirão: “acerca disso te ouviremos outra vez” (Atos 17.32). Mas a verdade é que outros crerão (Atos 17.34).

No amor daquele que nos designou para fazer discípulos e discípulas,

Bispo João Carlos

No Cenáculo

Revista Escola Dominical