Biênio 2016 - 2017

Biênio 2016 - 2017

Pesquisar

Acesso Rápido ao Blog

Arquivo do Blog

Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão 
segundo o seu trabalho (1 Coríntios 3.8)
Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante (1 Coríntios 9.10)

Toda lavoura tem um tempo de colheita mais ou menos previsível. E janela de tempo entre “ainda não chegou a hora de colher” e “é tarde demais para colher” não é muito grande, Por isso, o tempo da colheita é sempre um tempo bem atarefado para quem trabalha na lavoura. E comumente os pequenos agricultores se unem para ajudar uns aos outros na colheita, num verdadeiro trabalho cooperativo.


“Colheita” é uma palavra usada na bíblia de Gênesis ao Apocalipse. No Antigo Testamento a palavra é geralmente usada no seu sentido literal. Mas no Novo Testamento ela é usada quase sempre num sentido figurativo de “colheita de vidas”.

No ministério cristão, um dos princípios vitais que precisamos aprender a praticar é o princípio da cooperação. Jesus comissionou Sua igreja para propagar o evangelho a todas as nações. Ele não comissionou uma denominação específica ou um grupo específico. Ele comissionou todos aqueles e aquelas que fazem parte do seu corpo.

Jesus também não comissionou alguns especificamente para plantar e outros especificamente para colher. Assim, nesse momento você pode estar semeando ou pode estar colhendo. Seja qual for a sua situação presente, lembre-se do principio cooperativo: uns plantam; outros regam e ainda outros colhem. De acordo com o apóstolo Paulo “o que planta e o que rega são um” ou, em outras palavras, “o que planta e o que rega “TÊM UM SÓ PROPÓSITO”.

Demos graças a Deus por aqueles e aquelas que vieram antes de nós. Demos graças a Deus também por aqueles e aquelas que virão depois de nós. E nos alegremos em fazer parte desse grupo abençoado de homens e mulheres que Deus convocou para trabalhar na sua lavoura.

O propósito é um só: “uma multidão, a qual ninguém poderá contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; e clamando com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro”. Apocalipse 7:9-10.

Grande abraço,
Bispo João Carlos

No Cenáculo

Revista Escola Dominical