Biênio 2016 - 2017

Biênio 2016 - 2017

Pesquisar

Acesso Rápido ao Blog

Arquivo do Blog

         O sofredor crônico é pessimista, pois a forma com que ele vê as coisas determina o tipo de pessoa que ele é. Para o pessimista, a vida só traz desgosto e insatisfação, ele vive reclamando e murmurando, busca nos jornais as piores notícias só para se alimentar e criticar depois. Tem gente que só vê desgraça e derrota, sofre por antecipação, é viciado na dor e não consegue superar nenhuma dificuldade. Ele profetiza o seu futuro com base em seus pensamentos negativos e encaminha para esse futuro. Torna-se vítima e não se responsabiliza por nada.

A Bíblia, no livro de Números no capítulo 13, ilustra bem o que pode resultar da atitude pessimista. Moisés ordenou que doze homens, sendo um líder representando cada tribo de Israel, que fizessem um relatório completo sobre a Terra Prometida antes de todos continuarem sua caminhada até lá. Dez deles confirmaram que realmente a terra era boa, que manava leite e mel, que seus frutos eram enormes, contudo, havia muitos gigantes e ninguém conseguiria derrotá-los. O pessimismo daqueles espias contagiou milhões de pessoas. Só dois espias, Josué e Calebe, conseguiram entrar em Canaã e desfrutrar das bênçãos do Senhor, porque foram os únicos que acreditaram que o mesmo Deus que libertara os israelitas da escravidão do Egito, era com eles e lhes daria a vitória.


       Essa passagem bíblica mostra que o negativismo é contagiante, prejudicando não somente o pessimista, mas todos que estão ao seu redor. Podemos verificar isso em nosso cotidiano. O pai e a mãe que só tem pensamentos negativos transmite seu ponto de vista para a família. Para o derrotista tudo se torna impecílho, e acaba produzindo uma vida de fracasso. São pais que criticam filhos por terem tirado nove na prova da escola, eles acham que sempre seus filhos deveriam tirar nota máxima, lhe transmitindo a mensagem que não são bons o suficiente. Não conseguem perceber que os filhos deram o melhor de si. Não aceitam o fato do erro, e de enxergar o melhor.

        Se você tem um comportamento assim, aprenda a não exigir demais de si e do seu próximo, voltando sua atenção apenas para as falhas, em vez de avaliar também o que acertou, para obter um resultado melhor em uma próxima oportunidade, se não acabará sendo uma pessoa frustrada, que nunca relaxa, descansa, permite-se errar, ou poderá ter um colapso nervoso e desenvolver um comportamento obsessivo. Os erros são nossos mestres!

        Em Romanos 12.2 a Bíblia nos ensina: E não vos conformeis com este século, mas transformais-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.  E em Filipenses 4.8 nos ensina como devemos pensar, o que deve fazer parte do nosso pensar: Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

        Se o modo que você vê as coisas determina o tipo de pessoa que você é, e se tem sido uma pessoa que perdeu a dimensão da fé e enxerga somente gigantes, dificuldades intransponíveis o qual os desanimam, não se conforme com isso, e escolha o que vai fazer parte de seus pensamentos, pois isso poderá determinar o caminho a ser seguido para o seu futuro.
Pastor Gilson Michelato

No Cenáculo

Revista Escola Dominical